Seja um seguidor desse blog

sexta-feira, 11 de março de 2016

CÓDIGO DE DEFESA DO RELIGIOSO


Hoje a igreja vive dia difíceis. Cada vez mais deixa de existir membros da igreja. Agora se vê que os frequentadores da igreja estão mais para clientes.

Andando nesta direção, assim como o CDC código de defesa do consumidor, ECA estatuto da criança e adolescente, entre outros, em breve se lançará CDR, Código de Defesa do Religioso, onde se tratará dos direitos e deveres do membro da igreja, e direitos e deveres dos líderes. 

Falo isso porque as denominações midiáticas (igrejas televisivas, radiofônicas, etc) vendem descaradamente seus produtos gospel, campanhas, rosas, sal, água, cimento, etc... e, quem sabe, alguém vai pedir seu dinheiro de volta caso o produto não produza o efeito propagado.

Não seria nada mal este ideia, pois evitaria alguns abusos, se não existisse a Bíblia que deve ser o nosso manual de fé e prática.

As a verdade é que a igreja está perdendo sua essência, deixando de ser  corpo de Cristo para virar o Mercado Gospel. Deixamos de ser parte da igreja, para simplesmente sermos consumidores.

Julgamos o poder da oração, qualidade do louvor, estilo de pregação, o quão agradável é o templo, que serviço infantil existe, afinal é preciso saber se aquela determinada igreja merece o pagamento mensal da oferta que farei.

Precisamos ouvir o que Cristo fala à primeira igreja, a de Efeso, está faltando o AMOR, o amor como primazia, o amor como modo de vida. Costumo dizer que Éfeso era uma igreja tecnicamente perfeita, trabalhava arduamente, perseverava na doutrina, resistia à investida do inimigo e de falsos apostolos, porém caiu...

Caiu porque deixou o primeiro amor. 

Somente é igreja quando está presente o amor, e não é amor de sentimento simplesmente, mas um amor de atitudes, de obras, "volta e pratica as primeiras obras"... não estamos falando de sentimentos mas de atitudes. 

Jesus deixou claro naquele texto, que se não houver amor, não há igreja. "retirarei do meio de voz meu castiçal."

Neste novo modelo de igreja de consumidores, não há relacionamentos, por isso não há amor. Sem amor qualquer coisa não tem nenhum valor (I Co.13)

Não temos outra opção. Não há plano B. Temos que viver em um relacionamento vivo em nossa comunidade cristã, que é um organismo vivo, que cumpre a missão dada por Cristo.

Ide por todo mundo, pregando, batizando, discipulando...

Vamos ser a igreja que Deus planejou, porque vale a pena, porque é o melhor!